Coordenador do UCPel Mais Saudável divulga abaixo-assinado pela oferta de terapias complementares

O médico Roni Quevedo, que coordena o Projeto UCPel Mais Saudável, da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), organiza um abaixo-assinado de apoio à Portaria 971, do dia 3 de maio de 2006, do Ministério da Saúde. Ela garante a implantação das Práticas Integrativas e Complementares de Saúde, como homeopatia, acupuntura, fitoterapia, no Sistema Único de Saúde (SUS), algo que não ocorre em Pelotas. 
Até o momento, a mobilização já levantou mais de 6 mil assinaturas. Segundo Quevedo, 12 mil são necessárias para cobrar dos órgãos responsáveis a implementação dessas práticas. Segundo o médico, a implementação desse tipo de prática na rede pública de saúde depende de cada município. “Elas podem melhorar a qualidade de vida das pessoas. Devemos considerar os inegáveis objetivos de promoção, prevenção, recuperação, reabilitação e manutenção da saúde da comunidade, além do comprometimento psicosocial e econômico desta proposta em pauta”, defende.
São parceiros do abaixo-assinado a Promotoria Regional de Educação de Pelotas: Grupo Educa-Ação; Conselho Municipal dos Direitos da Mulher; Comitê de Entidades no Combate à Fome e Pela Vida; Núcleo de Responsabilidade Social de Clima Temperado da Embrapa; Conselho do Ensino Religioso e Promotoria da Infância e Adolescência. O abaixo assinado pode ser acesso no link
Sobre as terapias
A homeopatia é uma forma de terapia alternativa e consiste em aplicação de medicamentos em baixas doses para evitar intoxicação e estimular reação orgânica. Os medicamentos são produzidos através de substâncias extraídas da natureza.
A acupuntura é uma área da medicina tradicional chinesa, considerada método de tratamento complementar. Com mais de 2 mil anos de criação, consiste no diagnóstico e na aplicação de agulhas em pontos estratégicos do corpo. 
Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e a aplicação das mesmas na cura das doenças. Os medicamentos são feitos dessas plantas medicinais e por serem industrializados, diversas marcas têm aprovação de comercialização pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).